segunda-feira, 5 de julho de 2010

Auto-Retrato - Mário Quintana


No retrato que me faço
- traço a traço -
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore...

às vezes me pinto coisas
de que nem há mais lembrança...
ou coisas que não existem
mas que um dia existirão...

e, desta lida, em que busco
- pouco a pouco -
minha eterna semelhança,

no final, que restará?
Um desenho de criança...
Terminado por um louco!

3 comentários:

Paula Laranjeira disse...

uma delicia este texto...

bjs

Andreia Hernandes disse...

Que texto maravilhoso. Veio ao encontro do meu final de dia.

Obrigada pelo post.
Bjokas

Andreia Hernandes disse...

Que texto maravilhoso. Veio ao encontro do meu final de dia.

Obrigada pelo post.
Bjokas