domingo, 8 de maio de 2011

Quarta canção para Flora


Eu, que a bem pouco tempo atrás sequer cogitava a hipótese de ser pai, tenho a oportunidade de comemorar hoje o primeiro aninho de minha filha, Flora, justamente no dia das mães, a família unida, e em paz. Pra completar, nesta segunda-feira (09) faço 40 anos. Nada muda, é verdade, mas a felicidade é imensa.

Quarta canção para Flora

Sentado à margem deste rio,
onde me sinto um peregrino,
revejo as nuvens no infinito
e por instantes sou menino;

eu solto pipa, jogo bola,
rodo pião à espanhola;

e como sou aquele infante
sentado à margem deste rio,
em meu olhar um diamante:

o sorriso da minha filha
e uma lágrima maltrapilha.

2 comentários:

Fátima Santiago disse...

Que linda Flora. Muitos anos de vida para ambos. Muita saúde, paz amor, beleza, alegria, poesia...
Abraços

debie schizophrenia disse...

É muito recompensante perceber que em uma vida curta e efêmera, porém tão cheia de mudanças, estágios, marcas e desilusões, o compartilhar com as crianças, esses seres tão pequenos, vazios de orgulho e ingênuos, nos traz um sentimento de espontaneidade, de alegria simples e genuína, que nos remete à época em que éramos assim e não nos dávamos conta disso.

O mundo corre, passa rápido... tudo é rápido, cheio de intuitos pensados, por menores tecnicistas e mecanicistas, mas felizmente ainda temos a possibilidade de constatar que 'o fazer' sem segundos intuitos, que a simplicidade em meio a tanta complexidade e os sorrisos tão meigos e traquinos são marcas humanas daqueles que ainda não se perderam e que mesmo sem saber, e/ou querer, nos ajudam a encontrarmo-nos com o nosso lado humano... as crianças.

Louvadas sejam!